Data source

Thumbnail

Search results

20 records were found.

Espada de Oficial de Infantaria, do plano de uniformes para o Exército de 1885. Tem copos em latão dourado, punho com caneluras preenchidas a filigrana de cobre. Bainha de cabedal, com duas montagens em latão dourado, tendo o bocal um botão. Lâmina reta, plana, gravada com as armas reias portuguesas no talão e as seguintes legendas: "Fábrica de Toledo e año d 1886". Era usada pelos Oficiais Inferiores de Infantaria.
Pistola de sinais, do século XX, de latão, com cano basculante, manufaturada em Inglaterra, por W. SCOTT, semelhante às pistolas utilizadas na Grande Guerra (1914 - 1918).
Bússola magnética, de uso individual (Compsss magnetic marghing. Mark.1), de origem inglesa (?), utilizada para orientação do combatente no terreno. Tem o nº BI 55078, Modelo (m/) 1944.
Bornal, em lona, utilizado pelo combatente para transporte de bens essenciais de primeira necessidade em situação de campanha.
Escultura de Santo António, feita em gesso, de cores castanha, branca e dourada, com base em mármore.
Pote, para confeção de alimentos, em ferro forjado (vulgo, panela de ferro) de três pés, com testo. Fabricado em Portugal. Era utilizado para confecionar alimentação ao fogo, nomeadamente no meio rural.
Mó, de moinho, em granito, achada em 1940, pelo agricultor Porfírio Augusto Margarido, natural de Meirinhos, concelho de Mogadouro, quando abria um valado para plantar vinha, sendo trocada por um chapéu a um comerciante de Mogadouro e que, posteriormente, a doou a este museu.
Espingarda LEE-ENFIELD, Modelo (m/) 1917, calibre 7,7mm, com sabre. Arma de fogo, ligeira, individual, utilizada pelas tropas portuguesas, na frente europeia ocidental (Flandres), no período da Grande Guerra (1914-1918). Apresenta, na coronha, ao lado do guarda-mato, um sistema graduado sequencial, numerado de 18 a 28. Tem alça graduada e carrregador com capacidade para cinco munições. No interior da coronha há um orifício, onde se transportam os acessórios de limpeza. O cano é cilíndrico de alma lisa, fixo à coronha de madeira. Esta tem no fundo a chapa de couce. O gatilho está protegido por guarda-mato simples. O topo superior do cano está apetrechado por uma mira com escala numérica.
Espingarda STEYER, Modelo (m/) 1896, calibre 6,5mm (?), com o NºB383.17. Foi utilizada pelas tropas portuguesas de cavalaria e de artilharia, no final do século XIX e início do XX. Arma de fogo ligeira, individual, em aço e coronha em madeira. Dispõe de alça de pontaria, graduada de 1 a 18, com depósito central fixo. Tem cano cilíndrico, fixo à coronha, e o seu topo superior está apetrechado por uma mira com escala numérica. O gatilho está protegido por guarda-mato, com dispositivo onde encaixa o carregador. A coronha apresenta-se lisa e protegida com chapa de couce.
Pistola de percurssão e carregamento pela boca, de meados do século XIX. Forma exterior do cano hexagonal, com guarnições de metal branco e trabalho de gravura. Manufaturada na Bélgica.
Metralhadora LEWIS, Modelo (m/) 1917, calibre 7,7mm, de origem britânica, empregue pelas tropas portuguesas, na frente europeia ocidental (Flandres), por estas também designada de "Luisinha". Arma de fogo ligeira, com alça graduada. Dispõe de bipé e carregador cilíndrico, constituído por aço e latão. A coronha é em madeira castanha, que tem embutido, no seu interior, um pincel embebido num recipienrte com óleo.
Enxota-moscas, feito com rabo de boi ou cavalo, encaixado em cabo curto de madeira e coberto com uma malha de alumínio e cobre. De origem Maconde (Moçambique), era usado em cerimónias como símbolo de poder com valor mágico.
Quadro, em óleo sobre tela, retratando o Coronel António José Teixeira, fundador do Museu Militar de Bragança, com fundo em preto e moldura em madeira dourada.
Ponta de Lança, do Período Medieval, em ferro forjado preto. Ponta comprida em forma de folha alongada e com aresta central acentuada.
Espingarda Mauser, Modelo (m/) 1897, calibre 8mm, manufaturada pela SPANDAU. É uma arma de fogo, de repetição e depósito central fixo. Dispõe de cano cilíndrico, de alma lisa, e fixo à coronha em madeira, com chapa de couce. O topo superior do cano está apetrechado por uma mira, com escala numérica. O gatilho está protegido por guarda-mato simples.
Machado de pedra polida, do Período Neolítico, de cor castanho.
Barrete, de uniforme do Exército Alemão, do período da Grande Guerra (1914/18).
Máscara Anti-Gás, Capacete e Placa de Identificação, objetos de conjunto, pertencentes ao (então) Alferes Salvador Nunes Teixeira, do 1º Grupo de Metralhadoras, do Corpo Expedicionário Português (CEP), empenhado na frente europeia ocidental, na Flandres, entre 1917-1918. Este oficial faleceu em 30 de abril de 1977, com o posto de Coronel.
Sabre-Baioneta, da Espingarda Martini-Henry, utilizada nas Campanhas de Pacificação, em África, no final do século XIX. A sua lâmina, de dois gumes, é feita em aço. O punho é em madeira de castanho, da segunda metade do século XIX.
Estojo, para máscara Anti-Gás, em latão preto, usado pelo Exército Alemão na Grande Guerra (1914-1918).