Data source

Thumbnail

Search results

28 records were found.

Pelouro de ferro fundido, sob a forma esférica, que se empregava em algumas peças de artilharia, dos séculos XVI a XVIII.
A Espingarda automática AK-47 (denominação russa Avtomat Kalashnikova), modelo de 1947, de calibre 7,62mm, é uma espingarda de assalto produzida na União Soviética, pela indústria estatal IZH. Esta espingarda surgiu na União Soviética logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, sendo a arma de fogo mais fabricada de todos os tempos. Estima-se que o número de exemplares produzidos, tanto na Rússia como, sob licença, em países como a Bulgária, China, Hungria, Índia, Coreia do Norte, Roménia, entre outros, chegue à impressionante cifra de 90 milhões. Outros países, como a Finlândia e Israel, também basearam-se no projeto desta espingarda para produzirem os seus modelos M62 e Galil, respetivamente. Aquela espingarda carateriza-se por ter grande rusticidade, facilidade de produção em massa, simplicidade de operação e manutenção, além de reconhecida estabilidade sob baixas e altas temperaturas. Contudo, nos requisitos de precisão e ergonomia, apresenta algumas limitações. O seu funcionamento é similar a outras espingardas automáticas de assalto, pelo aproveitamento indireto dos gases, que são desviados da parte posterior do cano até um cilindro montado acima deste, onde pressionam um êmbolo de longo curso que aciona o recuo do ferrolho de trancamento rotativo. O ferrolho desliza sobre duas calhas existentes na caixa da culatra, com uma folga significativa entre as peças móveis e fixas, o que permite a sua operação sob saturação interior de lama ou areia. Dispara munições 7,62x39mm, nos modos automático e semi-automático. O registo de tiro e segurança são considerados, por muitos especialistas, a sua principal desvantagem, não corrigida nos modelos posteriores. É lento e desconfortável, exige esforço extra para operar, especialmente com luvas, e quando acionado produz um "clique" alto e distinto. Outra desvantagem é a posição do ferrolho, que permanece fechado após o último tiro. É alimentado normalmente por um carregador, tipo cofre metálico bifilar, de trinta projéteis, localizado à frente do guarda-mato. Outros tipos de carregadores, como o de quarenta projéteis ou o tambor de 75 projéteis da RPK, podem também ser usados. O seu aparelho de pontaria é graduado de 100 a 1000m e tem um ajuste fixo que pode ser usado para todas as faixas de 300m. Pode também ser equipado com lançador de granadas, montado sob o cano.
Espingarda Snider, de origem britânica, de funcionamento tiro-a-tiro, cujo mecanismo de retrocarga foi desenvolido por Jacob Snider. Foi utilizada pelo Exército Português no final do século XIX.